Agências e Guias de Turismo

A importância das agências receptivas e do guia de turismo como parceiros do visitante.

Ubatuba possui incontáveis pontos turísticos que podem encantar a diferentes perfis de visitantes: praias, trilhas, cachoeiras, centro histórico, natureza exuberante e comunidades tradicionais. E, em meio a toda essa diversidade de opções, há um combo importante, que pode dar um tempero especial a experiência do viajante – a agência receptiva + o guia de turismo.

A agência de turismo receptivo é uma empresa com sede na nossa cidade, sabe como tudo funciona e te dá dicas importantes, sempre lhe orientando da melhor forma possível. Os profissionais por trás destas agências sabem informações como distâncias e tempo para conhecer cada atrativo, como agendar visitas ou comprar ingressos antecipados, evitando filas e esperas intermináveis. As agências de turismo receptivo dispõe de guias de turismo e roteiros especiais. Uma espécie de amigo que você tem no destino visitado, que lhe dará apoio no que precisar.

“O guia de turismo é um dos mais importantes elos da cadeia produtiva do turismo.  Cabe a ele enriquecer a experiência da viagem turística, atuando como anfitrião indispensável ao sucesso das relações que o turista-viajante mantém tanto com as pessoas quanto com o local visitado.  Ele auxilia na comunicação, na transmissão de informações e conhecimentos, na criação de um ambiente propício ao sucesso da visita ao destino turístico e, fundamentalmente, na provisão de segurança ao viajante”, destaca a Coordenadora-Geral de Cadastramento e Fiscalização no Turismo, do Ministério do Turismo, Tamara Galvão.

É ele quem traz para a experiência do turista as histórias, os personagens e as curiosidades que o visitante não encontra nos livros e nem poderia descobrir sozinho. “O guia de turismo é, antes de tudo, um apaixonado pela sua região. Ele é um embaixador, um anfitrião dos viajantes que chegam a sua cidade”, exalta o vice-presidente do Sindicato dos Guias de Turismo do Distrito Federal, José Pereira.

DENTRO DA LEI – É fundamental que o guia de turismo ofereça informações qualificadas sobre aspectos históricos, geográficos, culturais, além das curiosidades das vivências do lugar. Ele deve apresentar os melhores destinos e os melhores momentos para visitação, por meio das rotas mais seguras e mais ágeis para os turistas. Por isso é fundamental o visitante escolher bem quem será o guia da viagem.

“O guia de turismo é a única profissão do setor que é regulamentada por Lei. Exija que o guia apresente a credencial do Ministério do Turismo. Confira seu credenciamento no Cadastur. O verdadeiro guia atua dentro da legalidade. Não siga os falsos profissionais”, alerta a presidente da Federação Nacional dos Guias de Turismo, Irma Karla. Ela propõe que o viajante já inclua a contratação do guia de turismo no planejamento da viagem.

A legislação em vigor qualifica o guia de turismo como profissional cadastrado no Ministério do Turismo, cujas funções são as de acompanhar e orientar pessoas ou grupos de turistas ou viajantes, assim como transmitir-lhes informações, durante visitas, viagens ou deslocamentos no país ou no exterior.

Fonte: MTur

/* * VLibras */